Seis escoteiros morrem ao inalar gases de vulcão em Java

Pelo menos seis adolescentes morreram e outros dois estão internados em estado grave após inalarem gases venenosos emitidos pelo vulcão Salak, na ilha indonésia de Java, onde acamparam com seu grupo de escoteiros, confirmaram fontes policiais nesta segunda-feira, 9. As vítimas, entre 14 e 16 anos, foram achadas neste fim de semana em Sukabumi, nas proximidades da cratera do vulcão de 2.180 metros e próximo à localidade de Ratu. O oficial da Polícia Thomas Alexander disse que as vítimas tinham restos de espuma e sangue na boca e nariz, um indicador de que sofreram envenenamento por gás sulfúrico. "Os garotos estavam brincando perto da cratera e inalaram os gases venenosos", disse Alexander, citado pela agência Antara. O policial informou que os seis jovens morreram logo após inalarem os gases tóxicos, enquanto os outros ficaram inconscientes e foram transferidos ao centro de saúde mais próximo. O acampamento foi organizado pela escola de ensino médio SMPN 67, do sul de Jacarta, que tinha advertido as crianças para não se aproximarem da cratera do vulcão, que freqüentemente emite gás sulfúrico para o exterior. O vulcão de Saak é um dos locais de lazer dos moradores de Jacarta e a Indonésia, situada na zona conhecida como Anel de Fogo do Pacífico, possui mais de 400 vulcões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.