AP
AP

Seis funcionários de Fukushima são expostos a água com radiação

Operários substituíram tubo de maneira equivocada em unidade de tratamento de líquidos

O Estado de S. Paulo,

09 de outubro de 2013 | 10h09

TÓQUIO - Seis trabalhadores da usina nuclear de Fukushima Daiichi foram expostos a água levemente contaminada na quarta-feira quando eles equivocadamente substituíram o tubo  errado em uma unidade de tratamento de líquidos, disse a empresa responsável pelo complexo, Tokyo Electric Power.

"Isso é sério. Houve incidentes similares que poderiam ter sido evitados se tivessem tomado cuidado", disse Shunichi Tanaka, presidente da Autoridade de Regulação Nuclear, em sua entrevista coletiva.

Embora ele tenha dito que a exposição à radiação não apresenta qualquer risco grave para a saúde, a recorrência desse tipo de problema sugere a "baixa moral" entre os trabalhadores, afirmou Tanaka. Há cerca de 3 mil operários atualemtne no local como parte do esforço de limpeza da usina. A maioria deles é contratada por empresas terceirizadas que trabalham para a Tepco.

"Esse não é o tipo de coisa que regulamentos podem corrigir. Funcionários da Tepco devem ir e trabalhar com eles na linha de frente e criar um bom ambiente de trabalho para eles", disse ele a repórteres .

A Tepco relatou que 11 trabalhadores entraram em um edifício improvisado para reparar um vazamento de um equipamento de tratamento de água. Contudo, a equipe iniciou a remover o tubo errado e não aquele que realmente tinha um vazamento. Já como o tubo não tinha sido drenado anteriormente a esse trabalho, a água levemente contaminada caiu em seis dos 11 funcionários, de acordo com a Tepco .

Todos os 11 trabalhadores estavam vestidos com roupas de proteção e máscaras. Dado que a radiação da água foi o nível beta, menos perigoso, Tanaka disse que o incidente não deve criar quaisquer riscos para a saúde. A radiação beta é mais fraca do que os raios gama e pode ser evitada pela roupa impermeável.

Tudo o que sabemos sobre:
jAPÃOFUKUSHIMA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.