Seis imans são retirados de vôo nos EUA e interrogados

Seis imans muçulmanos foram retirados de um vôo da US Airways no aeroporto de St. Paul, em Minneapolis, e foram interrogados pela polícia por horas antes de serem libertados, segundo um líder do grupo. Os seis estavam entre os passageiros que embarcaram no vôo 300, com destino a Phoenix, segundo o porta-voz do aeroporto Pat Hogan.Um passageiro inicialmente levantou preocupações em relação ao grupo através de um bilhete passado a uma aeromoça, segundo Andrea Rader, porta-voz da US Airways. Ela disse que a polícia foi chamada após o capitão e funcionários da segurança do aeroporto pedirem aos homens que deixassem o avião, o que eles se recusaram a fazer. "Eles nos tiraram do avião, nos humilharam de maneira bastante desrespeitosa", disse Omar Shaihin, de Phoenix.Os seis acadêmicos muçulmanos retornavam de uma conferência em Minneapolis, da Federação norte-americana de Imans de acordo com Shahin, líder do grupo. Cinco deles são do Arizona, e um é de Bakersfield, Arizona, segundo Shahin.Três deles realizaram suas rezas da tarde juntos no avião, disse Shahin. "Eu nunca havia me sentido tão mal assim", disse o iman. Ibrahin Hooper, porta-voz do Conselho de Relações America-Islâmicas, com sede em Washington, demonstrou irritação com as detenções. "CRAI irá realizar uma queixa às autoridades relevantes sobre o tratamento dos imans, para determinar se o incidente foi causado por histeria anti-muçulmana dos passageiros, e/ou pela tripulação", disse Hooper.Hooper disse que encontro reuniu cerca de 150 imans de todos os EUA.Os outros passageiros do vôo, com 141 pessoas além dos cinco tripulantes, decolou com aproximadamente três horas de atraso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.