Seis membros de diocese da Alemanha são acusados de abuso

Responsáveis pela Igreja 'lamentam' o ocorrido e 'pedem indulgência' dos envolvidos

Agência Estado

22 de março de 2010 | 14h48

A diocese de Regensburg, na Baviera, região natal do papa, na Alemanha, informou nesta segunda-feira, 22, que seis pessoas que trabalharam na diocese enfrentam acusações de abuso sexual, muitas delas por fatos ocorridos décadas atrás.

 

O porta-voz da diocese, Clemens Neck, disse que os responsáveis pela Igreja "lamentam profundamente" o que fizeram os empregados da diocese a algumas crianças e disse ainda que "pedem indulgência".

Neck disse que até agora se apresentaram sete pessoas com acusações de abuso sexual contra seis pessoas ainda vivas. Ele não identificou os suspeitos. O porta-voz acrescentou que um dos casos ocorreu em 1984 e os outros, na primeira metade da década de 1970.

Regensburg é a sede do coro de meninos Domspatzen, dirigido entre 1964 e 1994 pelo padre Georg Ratzinger, irmão do papa Bento XVI. Houve acusações de abusos na escola vinculada ao coro. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.