Seis países árabes anunciam planos de programa nuclear

O cenário de uma corrida nuclear no Oriente Médio foi incentivado na sexta-feira depois que seis países anunciaram planos para desenvolver tecnologia atômica, segundo reportagem deste sábado do jornal britânico The Times.Segundo o jornal, o movimento dá continuidade ao fracasso do Ocidente em impedir que o Irã desenvolva um programa nuclear. Além disso, a intenção dos países estende o problema para a região mais conflituosa do mundo e para o norte do continente africano.A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) afirmou que os países envolvidos são Argélia, Egito, Marrocos e Arábia Saudita. Tunísia e Emirados Árabes também mostram interesse em desenvolverem seus programas nucleares, segundo o jornal.Os seis países teriam intenção de desenvolver programas nucleares com finalidade pacífica, o que é permitido pela lei internacional. Porém, a declaração repentina levantou a suspeita de que os programas seriam destinados à fabricação da primeira bomba atômica árabe.A reportagem do Times traz uma declaração do diretor geral da AIEA, Tomihiro Taniguch, cuja afirmação diz que "alguns Estados do Oriente Médio, incluindo Egito, Marrocos, Argélia e Arábia Saudita, mostraram interesses iniciais em programas nucleares". Segundo ele, os diálogos entre técnicos da AIEA e os governos já começaram. Mark Fitzpatrick, especialista em proliferação nuclear do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, afirmou estar claro que a intenção dos países é criar uma "cerca de segurança" em torno dos árabes."Se o Irã não tivesse desenvolvendo sua capacidade nuclear, certamente não teríamos esse repentino interesse dos países (do mundo árabe", afirmou Fitzpatrick.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.