REUTERS/Heinz-Peter Bader
REUTERS/Heinz-Peter Bader

Seis pessoas são presas no Irã por ensinar e ‘promover’ a zumba

O ensinamento de danças ocidentais normalmente é proibido no país, mas a restrição é pouco respeitada; duas mulheres são acusadas de dançar em público sem o véu, cujo uso é obrigatório

O Estado de S.Paulo

09 Agosto 2017 | 11h43

TEERÃ - Quatro homens e duas mulheres foram detidos no Irã por ensinar e "promover" danças ocidentais, principalmente com aulas de zumba, declarou um responsável local da Guarda Revolucionária, citada nesta quarta-feira, 9, pelo jornal Jamejam.

"Identificou-se a rede que ensinava e filmava danças ocidentais e seus membros foram detidos em Sharud", disse Hamid Damgani, comandante local da Guarda Revolucionária, exército de elite do Irã.

"O grupo atraía garotos e garotas para ensinar danças ocidentais e os filmavam (...) para divulgar vídeos nas redes sociais, como Telegram e Instagram", acrescentou. "Foram detidos pela Guarda Revolucionária enquanto estavam ensinando e filmando (...) com o objetivo de mudar o modo de vida das pessoas e promover que não se use o véu."

As mulheres que fazem parte do grupo são acusadas de dançar em público sem o véu, cujo uso é obrigatório no Irã desde a Revolução Islâmica de 1979.

A zumba, uma mistura de exercícios aeróbicos e danças latinas, é normalmente praticada em estabelecimentos esportivos. O ensino de danças ocidentais costuma ser proibido no Irã, mas é uma restrição pouco respeitada.

Em 2014, foi detido um grupo de jovens que havia publicado nas redes sociais um vídeo no qual dançavam a música "Happy", do cantor Pharrell Williams. Eles foram condenados à prisão, mas a pena não foi aplicada. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Ásia Véu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.