Seis presos durante Congresso do Partido Comunista

Pelo menos seis pessoas foram presashoje pela polícia chinesa depois de terem realizado um protestodiante do Palácio da Assembléia do Povo, onde está sendorealizado o 16º Congresso do Partido Comunista Chinês (PCC).Entre os presos, segundo testemunhas, estão duas mulheres.Alguns dos detidos foram vistos quando tentavam entregar umtexto, aparentemente uma petição, aos agentes da polícia, quedepois os prenderam. As prisões ocorreram na Praça da Paz Celestial (Tiananmen), apoucas dezenas de metros da entrada do edifício. O motivo doprotesto não foi esclarecido. A Praça da Paz Celestial está sendo controlada por centenasde policiais e na sexta-feira, dia da abertura do congresso,havia a versão de que separatistas de Zinjiang, a regiãoocidental da China de maioria muçulmana, pretendiam realizar umamanifestação de protesto. Um dia após o presidente chinês, Jiang Zemin, delinear o queserá o futuro para a China, os mais de 2 mil delegados do PCCiniciaram hoje sua tarefa mais importante: a de eleger osmembros do Comitê Central do partido. O comitê, que conta atualmente com 193 membros, deverá, porsua vez, eleger o Politburo do partido e seu círculo mais íntimo o todo-poderoso Comitê Permanente. Todos, com exceção de um dos sete integrantes atuais deste comitê, deverão ser trocados. O Comitê Central deverá também nomear um sucessor de Jiang,que deixará o cargo de secretário-geral do partido - o maispoderoso da China - no fim do congresso. O provável sucessor é ovice-presidente Hu Jintao. Igualmente se espera que Jiang renuncie à presidência emmarço depois de assegurar seu legado, ao convidar empresários daindústria privada para integrar o partido. Em seu discurso de abertura, na sexta-feira, Jiang disse que"a democracia deve ser profunda", mas ele advertiu que osistema político chinês conservará suas "característicasespecíficas" e não se adequará "nunca" aos modelosocidentais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.