Seis são presos por mortes em incêndio no Paraguai

Um dos proprietários do supermercado que se incendiou na capital paraguaia, matando 464 pessoas, foi preso juntamente com cinco outras pessoas, depois que um segurança declarou ter recebido ordens para trancar as portas do estabelecimento no início do incêndio. O proprietário Juan Pio Paiva negou a acusação, e gritava ?minha consciência está limpa? enquanto era preso.O ministro do Interior, Orlando Fiorotto, disse que os primeiros indícios apontam para um vazamento acidental de gás como causa do incêndio. Ele disse que não foram encontrados sinais de sabotagem ou de incêndio criminoso.Paiva, um sócio e quatro guardas de segurança do supermercado foram acusados por homicídio culposo, informa a TV paraguaia. O filho de Paiva continua sob investigação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.