Seita Falun Gong é barrada em Hong Kong

Às vésperas da chegada do presidente da China, Jiang Zemin, a Hong Kong, a seita Falun Gong informou nesta segunda-feira que pelo menos 70 de seus seguidores provenientes do exterior foram barrados no aeroporto, acusando a polícia de violar a liberdade de expressão. "Por que as pessoas têm medo de vozes diferentes, apenas para agradar a uma pessoa, que abusa dos direitos humanos?", questionou Sophie Xiao, porta-voz da Falun Gong. "Nós ainda transmitimos nossas mensagens. Não acredito que isto nos afetará, mas certamente prejudicará a imagem de Hong Kong." A seita de meditação é classificada como ilegal pelo governo chinês, mas existe livremente em Hong Kong.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.