Seita islamita ataca cidade no nordeste da Nigéria

Homens-bomba suicidas atacaram uma base militar em Maiduguri, nordeste da Nigéria, e extremistas provocaram explosões ao redor da cidade nesta sexta-feira. Segundo funcionários do governo, a cidade está sob cerco de uma seita radical islâmica. Uma explosão ocorreu na frente de uma faculdade, onde os pais haviam chegado para buscar as crianças.

AE, Agência Estado

04 de novembro de 2011 | 15h30

Os atentados pareceram os mais complexos e coordenados feitos por uma seita local, conhecida como "Boko Haram", cujo nome significa "educação ocidental é pecado". A seita desfechou uma série de assassinatos e ataques a bomba ao redor de Maiduguri durante o último ano, matando mais de 240 pessoas nos últimos doze meses, de acordo com uma contagem da Associated Press.

O comissário da polícia do Estado de Borno, Simeon Midenda, disse que uma bomba foi explodida na frente de uma faculdade islâmica, onde os pais esperavam os filhos. Um pouco mais tarde, suicidas que guiavam um veículo utilitário tentaram entrar em uma base militar, disse o tenente coronel Hassan Ifijeh Mohammed. O utilitário não conseguiu destruir o portão, mas agressores conseguiram detonar explosivos dentro da base, disse Mohammed. Segundo ele, apenas alguns soldados sofreram "ferimentos leves". O número de suicidas que se explodiram na base também não está claro.

Mohammed disse que explosões ocorreram em outros três pontos da cidade, mas ninguém foi morto. As afirmações de Mohammed não puderam ser verificadas de maneira independente.

As informações são da Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
NigériaviolênciaBoko HaramMaiduguri

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.