Seita muçulmana assume atentado na Nigéria

O porta-voz de uma seita radical muçulmana na Nigéria, conhecida localmente como Boko Haram, assumiu a responsabilidade pelo atentado com carro-bomba contra os escritórios da Organização das Nações Unidas na Nigéria nesta sexta-feira que matou pelo menos 16 pessoas.

AE, Agência Estado

26 de agosto de 2011 | 13h59

O porta-voz conversou com o serviço em língua haussa da BBC, que é ouvido no norte nigeriano, majoritariamente muçulmano. Esses grupos costumam fazer suas declarações por meio do serviço da BBC.

Boko Haram, que significa "educação ocidental é um sacrilégio", realizou uma série de ataques a bomba e assassinatos no norte da Nigéria no último ano.

Eles assumiram um atentado com carro-bomba contra a sede da polícia federal em junho que matou pelo menos duas pessoas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
NigériaONUatentadoBoko Haram

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.