Seita muçulmana mata agente de segurança na Nigéria

Uma seita muçulmana radical matou um agente de segurança no norte da Nigéria neste domingo, em seguida a ataques que deixaram dezenas de mortos no país nesta semana. O novo ataque realizado pela seita Boko Haram teve como alvo um inspetor de polícia na cidade de Maiduguri, a sede espiritual do grupo radical. Integrantes da seita cercaram o carro do oficial perto de uma mesquita onde a vítima iria rezar junto com a família, segundo informações do comissário de polícia local Simeon Midenda.

AE, Agência Estado

06 de novembro de 2011 | 10h32

Os atiradores ordenaram que a família se afastasse e atiraram no inspetor, e depois permitiram que a família fugisse de carro. Os ataques ocorreram antes da celebração do feriado de Eid al-Adha, ou Festa do Sacrifício, quando os muçulmanos de todo o mundo lembram o quase sacrifício do filho de Abraão.

Em um comunicado, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, pediu "um fim a toda a violência na região".

A seita radical - que reivindicou a autoria dos ataques de sexta-feira nas cidades de Damaturu e Maiduguri - quer implementar a rígida lei Shariah em toda a Nigéria, um país rico em petróleo que tem mais de 160 milhões de habitantes, predominantemente cristãos no sul e muçulmanos no norte. Uma contagem da Associated Press mostra que o grupo matou pelo menos 330 pessoas apenas neste ano. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Nigériaviolênciapetróleoseita

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.