Sem remédios para AIDS, África está perto de catástrofe

A organização Médicos Sem Fronteira informa que uma falta contínua de drogas para tratar a AIDS em seis países africanos está criando uma catástrofe que pode custar milhares de vidas e reverter o progresso feito no continente até o momento. O coordenador médico da organização na África do Sul, Eric Goemaere, informa que nas últimas semanas as clínicas locais pararam de receber novos pacientes e as pessoas devem morrer antes de iniciarem o tratamento com os medicamentos retrovirais. Goemaere disse que tanto o governo quanto as empresas doadoras estão apáticos em relação ao problema. Os países afetados são Zimbábue, Uganda, África do Sul, Malavi, Guiné e Congo. As informações são da AP.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.