Sem-teto expulso de campo de golfe onde vivia há 40 anos

Um homem que viveu durante 40 anos em um campo de golfe recebeu ordem de partir, porque alguns jogadores disseram que ele os assustava. Outros golfistas, porém, dizem que Kenny Bethel é inofensivo e deveria ser autorizado a permanecer no Palmetto Golf Course.Behtel, de 55 anos, ?mudou-se? para o campo de golfe depois de fugir de casa, em 1963. Ele pegava e revendia bolas perdidas, usava os toaletes do clube e dormia na área coberta dos chuveiros. ?Este campo tornou-se meu trabalho e, depois, meu lar?, disse. Nos últimos nove anos, ele se fez acompanhar pela esposa, Francis, de 43 anos. Agora, eles se mudaram para um espaço debaixo de uma ponte. ?O que fiz para merecer isso??, perguntou.Bethel passou a ser perseguido pelos funcionários do clube quando tenta recolher bolas abandonadas, e os toaletes e chuveiros passaram a ser trancados durante a noite.?É um dilema?, disse Carlos McKeon, gerente do Miami-Dade County Golf Operations. ?Costumávamos tolerar Kenny. Mas quando alguns golfistas reclamaram de que ele estava invadindo e que isso é ilegal, tivemos de expulsá-lo?. Bethel recusou um emprego formal no clube, diz McKeon.Alguns golfistas ficaram surpresos com o banimento de Bethel. ?Parece vergonhoso que alguém que é uma instituição no campo não possa ser tomado como exceção à regra?, diz Jim Adamson.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.