Sem-teto já ocupam cinco terrenos na Argentina

Ocupações geraram protestos e quatro já morreram; manifestantes cobram programa habitacional

estadão.com.br

14 de dezembro de 2010 | 10h17

BUENOS AIRES - Dezenas de pessoas ocuparam na madrugada nesta terça-feira, 14, um prédio abandonado no bairro de Barracas, em Buenos Aires, levando a cinco o número de terrenos ocupados por sem-teto na Argentina. Ainda na capital, também há ocupações em Villa Soldati e Lugano, enquanto na região metropolitana da cidade há ocupações em Bernal e La Matanza, segundo informações do jornal Clarín.

 

As ocupações tiveram início há uma semana em Buenos Aires e geraram protestos violentos entre moradores das regiões ocupadas, os sem-teto e as forças de segurança. Quatro pessoas - três bolivianos e um paraguaio - morreram nesses conflitos.

 

Os ocupantes protestam por melhores condições de moradia. Entre eles há argentinos, mas principalmente peruanos, bolivianos e paraguaios. Eles cobram um programa habitacional do governo e reclamam da pobreza e das condições precárias em algumas comunidades da capital e da região metropolitana de Buenos Aires.

 

O governo federal da Argentina acusa o prefeito de Buenos Aires, Maurício Macri, de manter postura e discurso xenófobos. Macri, por sua vez, afirma que a ocupação é resultado da imigração descontrolada e da existência de grupos de narcotraficantes, o que é negado pelos governos do Paraguai e da Bolívia.

 

As autoridades federais e municipais seguem negociando uma solução para o conflito. A prefeitura se comprometeu a ceder terras, mas não financiará a construção de casas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.