Seminarista suspeito de matar padre nos EUA é preso

Um seminarista foi preso por suspeita de envolvimento no assassinato de um padre católico, que foi alvejado por um tiro e golpeado na cabeça antes que seu corpo fosse queimado no incêndio de uma igreja. Outros detalhes da prisão não estavam disponíveis. William Gulas, de 69 anos, da igreja de São Estanislau, morreu vítima de um único tiro que o atingiu domingo no peito, afirmou a médica legista do condado de Cuyahoga. A investigação preliminar também revelou que ele foi atingido no alto da cabeça, disse a médica legista Elizabeth Balraj. A polícia informou o município de que um seminarista havia sido detido, disse Celeste Glasgow, porta-voz da prefeita Jane Campbell. A polícia afirmou que não daria mais informações até que o suspeito fosse indiciado.

Agencia Estado,

09 Dezembro 2002 | 17h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.