Senado aprova mudança em programa de loteria de vistos

O Senado dos Estados Unidos aprovou nesta quinta-feira uma emenda que modifica a loteria anual de vistos de residência permanente, reservando dois terços das vagas do programa a imigrantes com altos níveis de educação.Com 56 votos a favor e 42 contra, o Senado aprovou a emenda do republicano Judd Gregg e da democrata Maria Cantwell. O projeto de lei de reforma migratória nos EUA será votado nesta quinta-feira.Atualmente, os EUA concedem cerca de 55.000 mil vistos por ano dentro do programa. Cerca de 8 milhões de pessoas participam da loteria. Portanto, apenas 0,7% consegue uma permissão de residência permanente.Com a emenda, dois terços do total seriam reservados para imigrantes com altos níveis de educação nos campos de ciência, tecnologia, matemática e engenharia.Vários democratas, entre eles o senador Edward Kennedy, criticaram a emenda por considerá-la excessiva.Dos 55 mil vistos aprovados no ano fiscal 2005, 10 mil foram para imigrantes de países africanos. Alguns críticos dizem que a emenda vai prejudicar milhares de imigrantes sem recursos, que não teriam outra forma de conseguir a residência permanente. Além disso, para atrair os mais preparados, os EUA já contam com o programa H-1B para imigrantes com altos níveis de educação.Nas últimas duas semanas, o Senado já aprovou um plano para a eventual legalização de imigrantes com mais de cinco anos nos EUA e um programa de trabalhadores temporários. Também foi aprovada a contratação de 4 mil agentes da Patrulha de Fronteira e até 2.500 fiscais nos pontos de entrada no país.Além disso foi criada uma multa de até US$ 20 mil para empresários que contratarem imigrantes ilegais, o dobro do que a lei atual prevê. As empresas terão que utilizar um novo sistema de informática integrado com o Departamento de Segurança Nacional, o Seguro Social e o Serviço de Rendas Internas para verificar o status dos novos empregados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.