Senado confirma Hillary para secretária de Estado

A esmagadora maioria dos senadores dos Estados Unidos votou pela confirmação de Hillary Clinton para o cargo de secretária de Estado, colocando de lado as preocupações de alguns republicanos de que ela teria feito muito pouco para se distanciar das atividades de captação de fundos de seu marido, o ex-presidente Bill Clinton. Hillary foi confirmada pelo Senado por 94 votos a favor e apenas dois contra - dos senadores republicanos David Vitter e Jim DeMint.A confirmação de Hillary para o cargo marca o fim de sua carreira de oito anos no Senado, que culminou no ano passado com uma fracassada tentativa de obter a indicação do Partido Democrata para concorrer à Casa Branca. A ex-primeira-dama iniciou as negociações para ser secretária de Estado do presidente Barack Obama logo depois da eleição em novembro que, no final, resultaram na sua escolha para ser a principal diplomata da nova administração.Na audiência de sua confirmação diante do Comitê de Relações Exteriores do Senado na terça-feira da semana passada, Hillary defendeu o uso do "poder inteligente", argumentando que os EUA devem se ocupar com os poderes hostis, como Irã e Síria, e procurar parcerias com China e Rússia. Ações militares devem ser usadas quando necessárias, mas "quando e onde precisarem, como um último recurso", disse, então, a ex-primeira-dama. GazaSobre a guerra na Faixa de Gaza, Hillary afirmou que iria buscar um acordo de paz no Oriente Médio, mas que não apoiaria negociações com o Hamas até que o grupo militante islâmico "renuncie à violência, reconheça Israel e concorde em aceitar os acordos anteriores". As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.