Senado confirma Kerry como secretário de Estado

O Senado dos Estados Unidos confirmou nesta terça-feira, por 94 votos a 3, o nome do senador democrata John Kerry para assumir o cargo de secretário de Estado no lugar de Hillary Clinton, escolhendo-o para ser o representante dos EUA na política externa em meio a conflitos no Oriente Médio e expectativa de maior presença na Ásia.

AE, Agência Estado

29 de janeiro de 2013 | 20h06

Com 69 anos, Kerry é filho de um diplomata e tem trabalhado como enviado não oficial de Obama, reunindo-se com líderes do Afeganistão e Paquistão. Ele ficou primeiramente conhecido em âmbito nacional por expressar sua contrariedade à Guerra do Vietnã. Kerry venceu as eleições para o Senado em 1984 e foi candidato à presidência pelo Partido Democrata em 2004. Ele fez parte do Comitê de Relações Exteriores do Senado durante seus 28 anos como senador e o presidiu pelos últimos quatro.

Os colegas de Kerry afirmaram que estão contando com os relacionamentos desenvolvidos por ele nas últimas décadas para ajudá-lo na transição à sua nova função. "Secretário de Estado não é uma função de escritório, ela requer constantes interações pessoais", disse o senador Bob Menendez, novo presidente do Comitê de Relações Exteriores. "John já construiu fortes relacionamentos com líderes em todo o mundo." As conexões de Kerry com o Senado também podem ajudar o presidente Barack Obama a lidar com conflitos no Capitólio.

Kerry chega ao Departamento de Estado em um momento de conflitos no Oriente Médio e no norte da África. A Síria também tem sido o centro de atos prolongados de violência, com o presidente Bashar Assad se mantendo no poder em meio a uma rebelião.

O nome de Kerry passou a estar no centro das especulações sobre quem seria o sucessor de Hillary Clinton no comando da diplomacia norte-americana depois de a embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas (ONU), Susan Rice, considerada a preferida de Obama, ter retirado seu nome ao enfrentar oposição forte por parte do Partido Republicano.

Hillary deve deixar o cargo no fim desta semana e um assessor de Kerry informou que ainda não há nenhum anúncio sobre quando Kerry deixará o Senado. O novo secretário de Estado afirmou hoje que não será fácil deixar a cadeira que ocupou por 28 anos. "Estou muito melancólico com isso, não será fácil", disse, emocionado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAKerrysecretário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.