Natacha Pisarenko/AP
Natacha Pisarenko/AP

Senado da Bolívia aprova projeto de novas eleições com veto à participação de Evo

Iniciativa passará ainda à Câmara dos Deputados para a sua aprovação, antes de ser promulgada como lei pela presidente internina, Jeanine Áñez

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2019 | 16h29

LA PAZ - O Senado da Bolívia autorizou neste sábado, 23, a realização de novas eleições gerais no país, sem a participação do ex-presidente Evo Morales, após um mês de uma violenta crise política, que deixou 32 mortos.

"Aprova-se por unanimidade o Projeto de Lei Regime Excepcional e Transitório para a realização de eleições gerais", anunciou o Senado no Twitter.

A iniciativa passará ainda hoje à Câmara dos Deputados para a sua aprovação, antes de ser promulgada como lei pela presidente internina, Jeanine Áñez.

A realização de novas eleições vem em meio a uma forte crise política e social. A Bolívia vive uma onda de protestos violentos desde que foi anunciada a eleição de Evo para um quarto mandato, no fim de outubro, em votação contestada pela Organização dos Estados Americanos (OEA).

Hoje, a Bolívia é comandada por Añez, que assumiu o cargo após Evo renunciar e receber asilo político do México. Desde que conquistou um novo mandato, o ex-presidente socialista vinha sendo pressionado por grupos opositores e pelas Forças Armadas do país a deixar o posto. / AFP e AP

Tudo o que sabemos sobre:
Evo MoralesBolívia [América do Sul]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.