Boston Globe / Reprodução
Boston Globe / Reprodução

Senado dos EUA adota resolução para apoiar liberdade de imprensa

Texto aprovado por unanimidade pelos senadores afirma que 'imprensa não é inimiga do povo' e foi visto como uma desaprovação aos ataques do presidente Trump à mídia

O Estado de S.Paulo

16 Agosto 2018 | 22h08

WASHINGTON - O Senado dos Estados Unidos adotou unanimemente nesta quinta-feira, 16, uma resolução declarando apoio à liberdade de imprensa e afirmando que “a imprensa não é inimiga do povo”.

A resolução não vinculativa aprovada em votação por voz foi uma desaprovação ao presidente Donald Trump, que há mais de 18 meses tem frequentemente chamado repórteres de “inimigos do povo”.

A resolução “reafirma a função vital e indispensável que a imprensa livre exerce para informar o eleitorado, revelar a verdade, agir como uma verificação do poder inerente do governo, promover discussões e debates nacionais e, além disso, avançar as normas democráticas e liberdades mais básicas e queridas dos Estados Unidos”.

A votação acontece após mais de 300 jornais americanos realizarem nesta quinta-feira uma defesa coordenada à liberdade de imprensa e uma crítica ao presidente Trump por denunciar algumas organizações da mídia como inimigas do povo americano.

“Um pilar central das políticas do presidente Trump é um ataque contínuo à liberdade de imprensa”, diz o editorial do Boston Globe, que coordenou publicação entre mais de 350 jornais.

Trump tem frequentemente criticado jornalistas e descrito reportagens da mídia que contradizem sua opinião ou posição política como “fake news”.

Ele investiu novamente nesta quinta-feira, tuitando: “A MÍDIA FAKE NEWS É O PARTIDO DA OPOSIÇÃO. Isto é muito ruim para nosso Grande País... MAS NÓS ESTAMOS VENCENDO!”. / REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.