Senado dos EUA aprova David Petraeus como novo diretor da CIA

General ocupa há um ano o comando das forças internacionais que combatem no Afeganistão.

Alessandra Corrêa, BBC

30 de junho de 2011 | 18h42

O Senado americano aprovou nesta quinta-feira a indicação do general David Petraeus para o cargo de diretor da CIA (a central de inteligência americana).

Indicado pelo presidente Barack Obama no final de abril, Petraeus, de 58 anos, substituirá Leon Panetta, que na sexta-feira assume o cargo de secretário de Defesa.

O general ocupa há um ano o comando da Força Internacional de Assistência e Segurança (Isaf, na sigla em inglês), responsável pelas operações de guerra no Afeganistão, e é um militar respeitado tanto por democratas quanto por republicanos.

Com 37 anos de carreira no Exército, Petraeus teve um papel destacado na Guerra do Iraque, quando foi enviado pelo então presidente George W. Bush, em 2007, para comandar a escalada das ações militares americanas no país.

O general é também elogiado por sua cooperação com a CIA nas operações no Afeganistão.

Ele deverá assumir o novo cargo civil apenas em setembro. Até lá, a CIA será comandada pelo vice-diretor Michael Morell.

Mudanças

A aprovação de Petraeus, com 94 votos a favor e nenhum contra, já era esperada e ocorreu menos de dez dias após o Senado ter aprovado por unanimidade, com cem votos, outra mudança proposta pelo presidente Obama na equipe de segurança, confirmando Panetta no comando do Pentágono.

Os dois assumirão seus novos cargos em meio a uma reestruturação mais ampla no comando da área de Defesa.

Panetta substitui o secretário Robert Gates, que se aposentou nesta quinta-feira após quatro anos e meio no cargo, tendo assumido ainda na gestão de Bush.

Para ocupar o comando da Isaf com a saída de Petraeus, Obama indicou o tenente-general John Allen, atual vice-comandante do Comando Central dos Estados Unidos, responsável pelas operações militares na Ásia Central e no Oriente Médio.

Allen ainda aguarda confirmação do Senado para ocupar o posto.

Afeganistão

Petraeus deixa o Afeganistão no momento em que os Estados Unidos iniciam a retirada de suas tropas do país, em meio à crescente pressão para encerrar uma guerra iniciada há quase dez anos.

O presidente anunciou na semana passada um cronograma que prevê a retirada de 10 mil soldados até o fim do ano e de outros 23 mil até setembro de 2012.

Durante as audiências no Senado para a confirmação de seu nome, ao longo deste mês, Petraeus chegou a dizer que recomendaria uma retirada mais lenta das tropas do Afeganistão, mas afirmou que apoiava a decisão do presidente.

Os Estados Unidos têm atualmente cerca de 100 mil soldados no Afeganistão. O objetivo do governo é transferir as ações de segurança para as forças afegãs até 2014.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.