Senado dos EUA aprova lei contra terrorismo

O Senado norte-americano aprovou, esta quinta-feira, uma nova lei que regulamenta o combate ao terrorismo. As novas medidas incluem autorização para interceptar ligações telefônicas de investigados, rastrear movimentos de pessoas consideradas suspeitas na internet, e a licença para a prisão temporária de suspeitos por até sete dias. O Senado reforçou também os meios à disposição do Estado para reprimir a lavagem de dinheiro, com o objetivo de bloquear as redes financeiras que podem ter patrocinado os atentados de 11 de setembro. Entre outras coisas, a lei impõe restrições aos bancos americanos que negociem com bancos estrangeiros, bem como os obriga a manter registros detalhados dos negócios com essas instituições. Com base nesses dados, o Tesouro ganharia mais poderes para identificar bancos que sirvam de fachada para lavagem de dinheiro. Também na quinta, um projeto semelhante foi aprovado no Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Representantes. O projeto de lei, aprovado por unanimidade, dá ao presidente George W. Bush a maior parte dos poderes pedidos pelo Executivo após os atentados do dia 11 de setembro. A votação foi realizada após longas negociações visando afastar o risco de violação dos direitos civis consagrados na Constituição norte-americana. Nesta sexta-feira, outra versão do projeto será analisada pela Câmara dos Representantes.

Agencia Estado,

12 Outubro 2001 | 03h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.