Senado dos EUA aprova lei de segurança alimentar

O Senado dos Estados Unidos aprovou um projeto de lei que dará mais autoridade à Administração de Alimentos de Medicamentos (FDA, na sigla em inglês). A expectativa é de que a Câmara dos Representantes também aprove o projeto antes do fim do ano. A Câmara já havia aprovado um projeto de lei de segurança alimentar em julho de 2009, mas terá de votá-lo novamente porque o Senado fez mudanças no texto.

AE, Agência Estado

30 de novembro de 2010 | 17h25

O projeto de lei dará à FDA poder para ordenar recolhimentos de alimentos, manter um acompanhamento melhor sobre embarques de furtas e vegetais, de modo que commodities contaminadas possam ser encontradas com mais rapidez. A lei também deve estabelecer padrões para fabricantes de alimentos. Mas não avalia medidas de segurança alimentar para carnes, produtos que são responsabilidade do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

O projeto de lei, aprovado com 73 votos a 25, é fortemente apoiado por produtores, consumidores, varejistas e grupos da indústria. Eles avaliam que a lei evitará grandes recalls de alimentos e dificultará o surgimento de doenças alimentares.

O diretor da Federação de Consumidores do Instituto de Política Alimentar Americano, Chris Waldrop, disse que seu grupo ficou "chocado nos últimos anos com a série de grandes surtos de doenças alimentares causados por produtos comuns, como espinafre, cebola, pimenta, manteiga de amendoim, ovos e mistura para biscoitos".

Segundo ele, "a nova lei exige uma mudança fundamental no programa de segurança alimentar (da FDA), enfatizando a prevenção em vez de esperar até que as pessoas fiquem doentes ou morram". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
segurança alimentarEUASenado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.