Senado dos EUA aprova prorrogação da Lei Patriótica

Por 95 votos a favor e um contra, o Senado dos EUA aprovou a prorrogação por cinco semanas de 16 disposições da Lei Patriota contra o terrorismo. A aprovação aconteceu poucas horas antes do vencimento da primeira prorrogação, que aconteceria nesta sexta-feira."Precisamos da Lei Patriota e estou disposto a seguir trabalhando para melhorá-la", assinalou o presidente do Comitê Judicial do Senado, o republicano Arlen Specter, um dos defensores da medida.As 16 disposições da lei, promulgada após os atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, deveriam expirar em 31 de dezembro, mas antes desta data o Congresso prorrogou sua vigência até hoje.O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, defende que o Congresso autorize sua vigência permanente, mas alguns senadores republicanos e democratas criticam as prerrogativas especiais outorgadas à Polícia Federal, como revistar documentos financeiros privados.A lei também permite que o FBI (a polícia federal americana) reúna e compartilhe informações em suas investigações antiterroristas, interfira em comunicações e reviste casas e empresas.Fontes legislativas indicaram que com a extensão da medida até 10 de março, os negociadores de ambos os partidos terão tempo para analisar alguns pontos polêmicos da lei. A iniciativa havia sido aprovada, por aclamação, na quarta-feira pela Câmara de Representantes.O legislador republicano James Sensenbrenner lamentou na quarta-feira que tenha sido necessário recorrer a uma nova prorrogação, por causa do que classificou de "medidas obstrucionistas" de um grupo de senadores.O presidente Bush insiste que a lei é necessária por tratar-se, segundo ele, de um "instrumento decisivo na luta contra o terrorismo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.