Senado dos EUA aprova reforma do setor de inteligência

O Senado americano aprovou um amplo projeto de reforma no setor de inteligência, com o objetivo de modernizar o sistema da época da guerra fria e impedir ataques como o de 11 de setembro. O projeto cria um diretor de inteligência nacional para supervisionar as 15 agências civis e militares de informação e espionagem existentes, e assegurar a colaboração entre elas para prevenir futuros ataques terroristas. Agora, o projeto de reforma deverá ser sancionado pelo presidente George W. Bush.O cargo de diretor de Inteligência não terá nível de ministério, mas contará com o mesmo nível de acesso ao presidente que os secretários de Defesa e de Estado. Terá autoridade para distribuir os recursos de inteligência ao redor do mundo e manter grupos como a Al-Qaeda sob vigilância - bem como países considerados suspeitos, como a Coréia do Norte.Bush ainda não decidiu quem nomear para o posto, disse o porta-voz da Casa Branca, Scott McClellan. "Agiremos o mais rápido que pudermos, obviamente, para implementar as provisões exigidas pela legislação", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.