Senado dos EUA confirma Timothy Geithner no Tesouro

O Senado dos Estados Unidos aprovou hoje a indicação de Timothy F. Geithner para comandar o Departamento do Tesouro dos EUA na administração do presidente Barack Obama, acabando com um processo no qual o indicado pediu desculpas por ter deixado de pagar algumas taxas.Segundo a agência de notícias Dow Jones, Geithner foi aprovado no cargo por 60 votos a favor e 34 contra. A votação ocorreu após duas horas de debates e vários senadores disseram que não podiam apoiar a nomeação de Geithner.Entre os senadores que votaram contra, republicanos em sua maioria, está Charles Grassley (republicano pelo Iowa), que participa do Comitê de Finanças do Senado.Obama deverá dar posse a Geithner ainda na noite de hoje. A nomeação de Geithner provocou polêmica porque descobriu-se, após Obama indicá-lo para o cargo, que ele não pagou impostos à seguridade social quando trabalhou como economista no Fundo Monetário Internacional (FMI). Geithner admitiu que não pagou as taxas, mas esclareceu que, mais tarde, os impostos foram pagos.Também foi revelado que Geithner continuou a empregar uma imigrante como diarista, após o visto de trabalho dela nos EUA ter expirado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.