Senado dos EUA debate "escudo biológico" contra o terror

A descoberta de gás sarin no Iraque e o uso de antraz e ricinina contra o Congresso americano levaram o Senado dos EUA a considerar o gasto de US$ 5,6 bilhões no que está sendo chamado de ?Projeto Escudo Biológico?.A proposta oferece incentivos à indústria farmacêutica para pesquisa e desenvolvimento de medidas contra armas químicas e biológicas, acelera o processo de aprovação de antídotos e, em situações de emergência, permite que o governo distribua drogas antes da aprovação formal pela FDA. O texto também garante que a indústria terá mercado para produtos que, sob circunstâncias normais, não teriam compradores. No caso, antídotos para armas químicas seriam adquiridos pelo governo federal.Nas situações em que o setor privado não for capaz de atuar, a lei permitirá que o governo administre programas de pesquisa e criação de vacinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.