Senado dos EUA iniciará debate sobre ataque ao Iraque

Enquanto se esforça para unificar a linguagem a ser utilizada, o Senado americano se encaminha para dar início ao debate sobre uma resolução que autoriza o presidente George W. Bush a usar a força militar, caso necessário, para despojar o Iraque de suas supostas armas de destruição em massa. Segundo a deputada Ranit Schmelzer, porta-voz do líder da maioria no Senado, o democrata Tom Daschle, a menos que se possa conseguir um compromisso sobre a linguagem da resolução, a proposta original apresentada pela Casa Branca há duas semanas será apreciada no plenário do Senado.O debate sobre a resolução poderia durar de três a quatro dias, dependendo do êxito dos negociadores em elaborar uma linguagem aceitável para ambos os partidos. Os democratas manifestaram forte oposição à proposta original, argumentando que ela daria ao presidente uma autoridade irrestrita e muito ampla para liderar uma guerra contra o Iraque, sem um apoio adequado do Congresso, nem uma advertência sobre a conveniência de se formar uma coalizão multinacional contra o regime de Saddam Hussein. Os quatro líderes do Congresso - o democrata Daschle, o líder republicano do Senado Trent Lott, o presidente da Câmara de Representantes Dennis Hastert e o líder da bancada democrata na Câmara Dick Gephardt - estão trabalhando no assunto junto com a Casa Branca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.