Senado dos EUA rejeita primeira proposta para revogar o Obamacare

Seis horas após aprovar a continuidade do debate sobre a reforma do sistema de saúde no Congresso, republicanos não conseguem votos para acabar imediatamente com a lei anterior

Reuters, Washington

26 Julho 2017 | 01h07

WASHINGTON -- A proposta para revogar e substituir o Obamacare, a reforma do sistema de saúde dos EUA realizada pelo presidente Barack Obama, foi rejeitada no Senado. Em votação realizada nesta terça-feira, 25, 43 senadores votaram a favor do projeto apresentado pelo senador Ted Cruz, enquanto 57, incluindo nove republicanos, rejeitaram o texto, que precisava de 60 votos para ser aprovado.

Mais cedo, os republicanos conseguiram aprovar uma moção para continuar o debate no Senado. A proposta passou graças ao voto do senador John McCain, diagnosticado com um tumor agressivo na cabeça, na semana passada, mas que foi a Washington participar da sessão, mesmo contra a vontade de seus médicos. Após um empate (50 a 50), o vice-presidente Mike Pence deu o voto de Minerva, o que na prática dava o aval para o projeto continuar a ser discutido no Congresso.  

Seis horas depois, no entanto, veio a primeira derrota dos republicanos. Ted Cruz inseriu em sua proposta US$ 100 bilhões em emendas para ampliar o Medicaid -- programa de saúde para os mais pobres. O objetivo era satisfazer os republicanos moderados e diminuir o impacto que teria o fim do Obamacare. Não adiantou. 

A derrota -- ou vitória parcial, se a moção para continuar o debate for considerada -- mostra o quanto será complicado para os republicanos encontrar consenso no Congresso para revogar o Obamacare, que ampliou o acesso dos americanos à cobertura de saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.