Senado dos EUA vai pressionar Irã com novas sanções

O senado dos EUA vai dar até dezembro para que o presidente Barack Obama avance no acordo nuclear com o Irã. Se até lá as negociações não se desenvolverem, a casa pretende começar a pressionar o país árabe com novas sanções, disse o líder da maioria democrata, Harry Reid.

Agência Estado

22 de novembro de 2013 | 03h57

Reid disse que apoia o debate com as potências mundiais para refrear o programa nuclear do Irã, mas que os iranianos podem adiar a realização de um acordo se novas penalidades não forem impostas. Segundo o líder democrata, o Senado deve expandir as limitações econômicas impostas a Teerã após o fim do recesso de duas semanas, em dezembro. Ele afirmou que os senadores podem ampliar as sanções ao mercado de petróleo e às empresas iranianas que apoiarem o programa nuclear.

No começo da semana, Obama pediu aos senadores para atrasarem a criação de novas sanções enquanto as potências globais tentam concluir um acordo com o Irã. Um pacto pode ser alcançado nos próximos dias. O Congresso, de maioria Republicana, votou a favor da expansão das sanções a Teerã em julho e, desde então, aguarda a votação do Senado. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EuaIrãSanções

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.