Senado exige das FARC liberdade de senador

O Senado pediu ao governo colombiano que exija das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) a "imediata libertação" do congressita Luis Eladio Pérez, seqüestrado no último domingo, no sul do país. O senador Luis Vélez, presidente da direção nacional do Partido Liberal, pediu uma ação decisiva do governo para que as FARC respondam rapidamente à exigência da "libertação de Pérez e de todos os demais seqüestrados". As FARC negaram nesta quarta-feira sua responsabilidade pelo seqüestro de Pérez, senador do opositor Partido Liberal e ex-presidente da Comissão de Relações Exteriores do Congresso. No entanto, o ministro do Interior, Armando Estrada, afirmou que o dirigente político foi seqüestrado por membros da Segunda Frente das FARC no domingo, quando se encontrava na zona rural do município de Ipiales, no departamento (Estado) de Nariño. Estrada informou que o senador foi "enganado" por pessoas que disseram ter em seu poder uma caminhonete de sua propriedade que havia sido roubada há duas semanas. Ao narrar o fato no plenário do Senado, o ministro disse que, ao chegar ao lugar onde presumia estar sua caminhonete, Pérez foi cercado por um bando de homens armados que desceram de outro veículo e o levaram. Estrada qualificou o seqüestro como "fato político" e descartou motivos econômicos. Dez senadores designados pelo plenário se reuniram nesta terça-feira à noite com o presidente Andrés Pastrana e, segundo um dos participantes, pediram-lhe que fizesse gestões junto aos rebeldes através do Comissário de Paz Camilo Gomez para obter a rápida libertação do congressista liberal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.