Senado fecha dois gabinetes com suspeita de antraz

Autoridades fecharam hoje dois gabinetes do Senado americano, após uma carta com suspeita de antraz ter sido enviada ao senador Patrick Leahy. A descoberta surpreendeu o Congresso, neste momento em que a ameaça da bactéria mortal parecia estar desaparecendo. O envelope, que não foi aberto pelo parlamentar, foi enviado para testes e ainda não há previsão para a divulgação dos resultados. O chefe do Estado Maior, senador Luke Albee, disse que ainda não se sabe como a correspondência chegou ao gabinete de Leahy e se algum de seus funcionários chegou a tocá-la. Não foi detectada até agora a necessidade imediata de a equipe do senador começar a tomar qualquer tipo de antibiótico. A carta de Leahy possui semelhanças com a dirigida no mês passado ao líder da maioria democrata no Senado, Thomas Dashle. À exceção do nome e do endereço do destinatário, o envelope traz o mesmo carimbo de correio, datado de 9 de outubro e originário de Trenton (New Jersey). Além disso, o remetente também registra o endereço de uma escola que não existe. Nenhum membro do Congresso contraiu antraz até agora e as atividades para a maioria dos parlamentares e legisladores caminham em ritmo normal, a despeito da introdução da Guarda Nacional esta semana para ajudar a sobrecarregada polícia do Capitólio. A correspondência do Congresso foi colocada de lado depois da nova descoberta, mas a carta de Daschle foi a única considerada suspeita, informou Van Harp, diretor-assistente do escritório do FBI em Washington. Quatro pessoas - duas que trabalhavam nos Correios de Washington, um trabalhador de um hospital de NY e um editor de foto da Flórida morreram depois de terem sido expostos ao antraz. O FBI está oferecendo uma recompensa de US$ 1,2 milhão para quem conseguir localizar o responsável pela dissiminação da bactéria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.