Senado francês aprova polêmico projeto de lei de imigração

O Senado francês aprovou na noite de sexta-feira o projeto de lei sobre a imigração, defendido pelos parlamentares de direita governistas e muito combatido pela oposição de esquerda.O projeto de lei vai encerrar seu trâmite parlamentar nos próximos dias, sendo examinado por uma comissão de deputados e senadores. Segundo seu criador, o ministro do Interior, Nicolas Sarkozy, ele segue o conceito de "imigração escolhida" e não "sofrida".Entre outras medidas, a nova lei endurece as condições da reunificação familiar e da obtenção de vistos de estadia e naturalização de estrangeiros casados com franceses. Vai acabar a regularização automática dos clandestinos com mais de 10 anos na França. Em compensação, haverá vistos especiais para quem beneficiar o dinamismo econômico e a projeção internacional da França.O projeto de lei foi denunciado pelas associações de defesa dos imigrantes, direitos humanos e pelas principais igrejas, além da oposição de esquerda.No Senado, o texto foi suavizado com medidas para a entrada na França de estrangeiros que tenham estudado num liceu francês em seu país de origem. Os senadores avançaram na idéia de Sarkozy de apoiar o desenvolvimento dos países de origem dos imigrantes.Assim, os imigrantes de países em desenvolvimento poderão aplicar suas economias numa conta bloqueada que permitirá deduções fiscais de até 25%, se dedicarem o dinheiro a investimentos em seus países de origem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.