Senado francês vota aumentos menores para os cigarros

Sob a pressão dos protestos de revendedores de cigarros, o Senado francês votou, hoje, redução parcial nos aumentos sobre cigarros programados para janeiro. A medida, que ainda deverá ser submetida a outra votação para transformar-se em lei, corta o aumento planejado de 20% nos impostos para cerca de 8% a 20%.Os senadores ?pensaram nos revendedores de cigarro, nos moradores das áreas rurais, onde as tabacarias ainda têm papel importante?, justificou o senador Phillippe Marini, na rádio RTL.Mas os parlamentares de esquerda acusam um governo de capitular sem necessidade. ?Este voto é algo da covardia típica do governo?, afirmou Pierre Moscovici, ex-ministro socialista. O ex-ministro do Meio Ambiente, Dominique Voynet, disse que ?falta coragem? ao governo. O aumento de impostos é parte da campanha superdivulgada do governo contra o cigarro, que também apresentou leis para limitar o fumo em espaços públicos.Este ano, a elevação dos impostos já fez com que o preço médio do maço de cigarros subisse de ?3,90 (R$ 14,00) para ? 4,60 (R$ 16,51. O aumento fez crescer o contrabando de cigarros, o roubos nas tabacarias e a fúria dos revendedores, que dizem que seu negócio está em perigo. Mais de 10.000 revendedores organizaram uma marcha, segunda-feira, para protestar contra a alta dos impostos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.