Senador americano busca aproximar EUA e Paquistão

Em visita ao país, John Kerry tenta reduzir clima de desconfiança após morte de Bin Laden

Agência Estado

16 de maio de 2011 | 11h04

ISLAMABAD - O senador norte-americano John Kerry afirmou nesta segunda-feira, 16, que Paquistão e Estados Unidos são "parceiros estratégicos com um inimigo comum". Presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado, Kerry trabalha para reduzir o clima de desconfiança bilateral, após a morte do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, morto por uma força especial norte-americana em território paquistanês.

 

Veja também:

especialAs franquias da Al-Qaeda

especialA trajetória de Osama bin Laden

especialPasso a passo da caçada a Bin Laden

Em visita ao país, Kerry disse ter tido "conversas construtivas" com os líderes do Paquistão, mas reiterou suas "graves preocupações" com a presença no Paquistão de Bin Laden e também de outros extremistas anti-EUA. "De modo mais importante, eu expliquei que estou aqui com o apoio do presidente (Barack) Obama, do embaixador (dos EUA para o Paquistão, Cameron) Munter e de suas equipes para encontrar uma forma de reconstruir a confiança entre os países", afirmou Kerry.

"Nós nunca devemos perder de vista esse fato essencial: nós somos parceiros estratégicos, com um inimigo comum no terrorismo e no extremismo." Kerry afirmou que os dois países "se sacrificaram tanto que não faria sentido ver esta relação debilitada ou abandonada".

O Paquistão reclama da operação contra o extremista, realizada em seu território sem aviso prévio. Já vozes nos EUA apontam o fato de Bin Laden viver durante anos em território do aliado, talvez com o apoio de autoridades paquistanesas. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.