Senador americano pede renúncia de Kofi Annan

O senador Norm Coleman, chefe do Subcomitê Permanente de Investigações do Senado dos Estados Unidos, pediu hoje a Kofi Annan, secretário-geral da ONU, que renuncie. Coleman investiga denúncia de corrupção num programa de ajuda humanitária para o Iraque administrado pela ONU, durante o regime de Saddam Hussein. O programa Petróleo por Alimentos entrou em vigência em 1996. Segundo Coleman, Saddam teria desviado para seus cofres US$ 21,3 bilhões, mediante um esquema de favorecimento e suborno que teria anuência de autoridades importantes da ONU, França e Rússia, diplomatas estrangeiros e empresas. Uma dessas empresas, a suíça Cotecna, chegou a contratar Kojo Annan, filho do secretário-geral. "A grande dimensão desse desastre exige nada menos que a demissão de Annan", afirma o senador americano em um artigo publicado em The Wall Street Journal. "Se esse escândalo tivesse ocorrido em qualquer outra instituição legal, seu presidente teria sido destituído há muito tempo", destacou Coleman. "Por que na ONU essas coisas são diferentes?" Na opinião do parlamentar, as Nações Unidas não podem "erradicar a corrupção", enquanto tiver Annan em seu comando. Annan nomeou uma comissão, chefiada pelo americano Paul Volker, para apurar os fatos. Mas Coleman põe em dúvida a margem de ação dessa comissão, e denuncia suas limitações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.