Senador colombiano é preso por suposto elo com 'paras'

O senador Carlos García, chefe do Partido Social de Unidade Nacional, do presidente colombiano Alvaro Uribe, foi detido hoje sob suspeitas de vínculos com o paramilitares, informaram as autoridades da Colômbia. Funcionários da procuradoria do governo informaram que ele será transferido para uma prisão em Bogotá. O senador já era investigado pela Suprema Corte de Justiça por supostos vínculos com os paramilitares de direita desde abril do ano passado.O senador, um médico cirurgião que ocupa uma cadeira no Senado desde 1994, é investigado por acusações de "reunião para delinqüência." Em 2001, ele negou ter contato ou conhecer paramilitares no departamento de Tolima, no oeste colombiano. García foi denunciado por um paramilitar desmobilizado e as denúncias levaram à abertura das investigações em 2007. O Congresso colombiano tem 268 integrantes. Pelo menos um em 10 está na cadeia, sob investigação por vínculos com paramilitares. García é o segundo político importante do partido de Uribe a ser vinculado ao escândalo da "parapolítica." Em abril deste ano foi detido o ex-senador Mário Uribe, primo do presidente, por suposta promoção de grupos paramilitares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.