AP Photo/Eric Gay
AP Photo/Eric Gay

Senador republicano quer fortuna de 'El Chapo' para pagar muro 

Ted Cruz propõe que dinheiro de narcotraficante mexicano seja usado na construção do muro

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2019 | 20h43

O senador republicano Ted Cruz, do Texas, propôs um projeto de lei que pode ser a solução para o muro que o presidente Donald Trump tanto quer construir na fronteira com o México. Se o projeto for aprovado pelo Congresso bilhões de dólares obtidos pelo ex-chefão do cartel de Sinaloa Joaquín “El Chapo” Guzmán com a venda de drogas poderão ser usados para a segurança fronteiriça, incluindo o muro ao longo da divisa com o México.

“Os US$ 14 bilhões de Chapo seriam usados para a segurança em nossa fronteira sul e para impedir a entrada ilegal de drogas, armas e indivíduos”, disse Cruz em uma mensagem divulgada em janeiro. “Ao utilizar os recursos de Chapo e de outros chefões das drogas, podemos cobrir o custo da segurança e obter um significativo progresso para cumprir as promessas feitas aos americanos.”

Os críticos do projeto de Cruz dizem que o dinheiro apreendido não cobre todo o custo da construção do muro, que tem dividido democratas e republicanos. Na quarta-feira, Trump qualificou a ideia do senador de interessante. “Tudo que Ted faz é interessante. E certamente esta é uma dessas coisas”, disse Trump, ao ser questionado por repórteres sobre a proposta de Cruz.

A construção do muro é uma promessa de campanha de Trump, que afirmou que ele seria pago pelo México. Depois de eleito, ele pressionou o Congresso a aprovar a inclusão de uma verba no orçamento federal de US$ 5,7 bilhões para a obra. Os democratas, que controlam a Câmara dos Deputados, rejeitaram o pedido, abrindo uma disputa que levou à paralisação do governo por mais de um mês, entre dezembro e janeiro.

Nesta quinta-feira, a Casa Branca afirmou que o presidente vai declarar emergência nacional para construir o muro

A ideia ganhou destaque esta semana com a condenação de Chapo por dez crimes relacionados ao tráfico de drogas, após 11 semanas de julgamento. O chefão do cartel de Sinaloa, que pode pegar prisão perpétua, receberá sua sentença em 25 de junho.

Os promotores federais anunciaram que pediram à Justiça o confisco dos bilhões de dólares que Chapo juntou com o tráfico de cocaína, heroína, metanfetaminas e outras drogas. Eles não divulgaram o valor total, mas estimam que ele tenha acumulado US$ 14 bilhões.

Na quinta-feira, Cruz comentou a condenação de Guzmán e reiterou que os US$ 14 bilhões provenientes do narcotráfico poderiam ser usados para financiar o muro. Pelo Twitter, ele lançou a campanha: “Façam Chapo pagar pelo muro”.

O senador texano tentou a mesma manobra no ano passado, mas sua proposta não foi sequer colocada em votação na Comissão de Justiça e foi engavetada antes de chegar ao plenário do Senado. / W. POST

PARA ENTENDER 

A ideia parece simples: usar dinheiro confiscado do narcotráfico para construir um muro na fronteira. Para consultores, no entanto, o problema é encontrá-lo. O Departamento de Justiça dos EUA estima que Joaquín “El Chapo” Guzmán tenha acumulado US$ 14 bilhões, mas o cálculo é só uma estimativa. Na prática, o que restou não deve passar de US$ 1 bilhão.

O dinheiro, se realmente existir, está escondido. Parte dele já foi lavado e entrou na economia legal. Críticos da ideia dizem ainda que os recursos de criminosos apreendidos são fundamentais para financiar investigações e treinamento policial, e desviá-lo para a construção de um muro afetaria a aplicação da lei.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.