Senadora americana diz que não apóia voto feminino

A senadora Kay O´Connor, do Estado do Kansas, afirmou que se o sufrágio feminino fosse colocado em votação hoje, ela não o apoiaria. Para ela, a 19ª Emenda foi o início de um longo desgaste dos valores da família. "Sou uma mulher à moda antiga", declarou ao jornal The Kansas City Star a senadora de 59 anos, que é do Partido Republicano. "Os homens deveriam cuidar das mulheres, e se eles estivessem tomando conta delas, hoje não teríamos de votar", afirmou. A co-presidente da Liga das Eleitoras do Condado de Johnson, Delores Furtado, havia convidado a senadora ao almoço em comemoração ao direito do voto feminino. O´Connor respondeu-lhe que "provavelmente você não vai me querer lá, por causa do que eu teria a dizer". Furtado ficou chocada com o ponto de vista da senadora e afirmou que ela, como senadora, "é beneficiária de um sistema que não apóia". A 19ª emenda, que concedeu o direito de voto a todas as mulheres americanas, foi ratificada em 1920. Segundo a senadora O´Connor, a emenda deu início a uma mudança social, que terminou por encorajar as mulheres a trocar as tarefas domésticas por carreiras profissionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.