Senadora está disposta a endividar-se ainda mais para continuar na disputa

A senadora Hillary Clinton está disposta a emprestar mais dinheiro à sua campanha para permanecer na corrida pela candidatura democrata à Casa Branca. Hillary, que até agora colocou US$ 11 milhões do próprio bolso na disputa, está com problemas para arrecadar recursos porque muitos doadores se retraíram, diante das chances reduzidas de ela ser a indicada. Segundo Terry McAuliffe, um dos coordenadores de sua equipe, ela estaria disposta a desembolsar mais do próprio dinheiro se for necessário. A dívida da campanha já supera US$ 20 milhões.A senadora sofreu mais um baque ontem, depois que o ex-candidato democrata John Edwards alertou sobre a possibilidade de ela prejudicar o partido ao se recusar a desistir da disputa. "Hillary precisa ter cuidado porque pode reduzir as chances do partido em novembro", disse Edwards. Edwards também criticou as declarações de Hillary sobre raça. Em entrevista ao jornal USA Today, publicada na semana passada, a senadora afirmou que o apoio a seu rival, Barack Obama, estaria diminuindo entre os americanos brancos. Uma derrota arrasadora na Virgínia Ocidental, nas primárias de amanhã, reforçaria a idéia de que uma parcela da população não votará em Obama. Os rumores de que Hillary não deixa a disputa por estar negociando a vice-presidência na chapa de Obama foram negados ontem por David Axelrod, estrategista do senador. Axelrod também negou que haja negociações para que ela desista da disputa em troca do pagamento de suas dívidas e que Michelle, mulher de Obama, se oponha à entrada de Hillary na chapa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.