Senadores dos EUA alertam sobre risco de guerra com Irã

Senadores republicanos e democratas alertaram na terça-feira o governo dos EUA sobre o risco de um eventual confronto militar com o Irã e disseram que a administração do presidente norte-americano, George W. Bush, estaria perdendo a chance de envolver o país adversário nas negociações com o Iraque."Na minha opinião, o que tem nos preocupado é o fato de que estamos hostilizando o Irã, mas não tentamos ainda uma aproximação diplomática", disse o senador Barack Obama, um dos possíveis candidatos à presidência dos EUA em 2008. "Assim, a população norte-americana fica sem saber o que realmente está acontecendo".Na terça-feira, o Senado dos EUA realizou uma audiência no Comitê de Relações Exteriores para decidir a confirmação do diplomata John Negroponte para o cargo de vice-secretário de Estado. Na ocasião, Obama disse aos colegas que republicanos e democratas devem cobrar "clareza e transparência na política externa norte-americana para que os erros do passado não se repitam", em uma clara crítica à invasão do Iraque.Durante a audiência, o senador Chuck Hagel perguntou a Negroponte se ele acreditava que os EUA estavam avançando rumo a um confronto militar com Teerã. Em resposta, o diplomata indicado por Bush, disse apoiar a atual política externa do presidente, mas afirmou não descartar "outras possibilidades".Nos últimos meses, o governo dos EUA aumentou as pressões diplomáticas, econômicas e militares sobre o Irã, por causa da disputa sobre o polêmico programa nuclear do país. Washington também acusa Teerã de armar e treinar extremistas xiitas, que combatem as tropas norte-americanas no Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.