Senadores dos EUA pedem investigação de suposto papel da BP em libertação de líbio

Pedido de investigação sobre libertação de condenado por atentado de Lockerbie será analisado por Hillary Clinton.

Alessandra Corrêa, BBC

14 de julho de 2010 | 22h27

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse que vai analisar o pedido de um grupo de senadores para que se investigue o suposto papel da petroleira britânica BP na libertação do homem condenado pelo atentado de Lockerbie.

Em carta à secretária, os senadores democratas Robert Menendez, Charles Schumer, Frank Lautenberg e Kirsten Gillibrand pediram que o Departamento de Estado investigue relatos de que a BP teria ajudado a garantir a libertação do líbio Abdelbaset al-Megrahi.

Os senadores também pedem que a petroleira britânica suspenda seus projetos de exploração de petróleo na Líbia até que se esclareça seu papel no episódio.

"Como a secretária disse, nós recebemos uma carta, que traz algumas recomendações. Nós estamos avaliando essas recomendações e iremos responder aos senadores", disse nesta quarta-feira o porta-voz do Departamento de Estado, Philip Crowley.

Atentado

O pedido dos senadores é baseado em relatos publicados pela imprensa de que a BP teria ajudado nos esforços pela libertação de Al-Megrahi para poder acelerar um contrato de exploração de petróleo com a Líbia no valor de US$ 900 milhões (cerca de R$ 1,58 bilhão).

A BP nega essas alegações.

Al-Megrahi foi condenado à prisão perpétua em janeiro de 2001, por seu envolvimento na explosão de um avião da companhia aérea Pan Am em 1988, sobre a cidade escocesa de Lockerbie, em um atentado que matou 270 pessoas.

No ano passado, autoridades escocesas anunciaram a libertação de Al-Megrahi, que sofre de câncer, por razões humanitárias.

A decisão provocou polêmica e foi criticada, na época, pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Vazamento

A petroleira britânica tem sido alvo de muitas críticas nos Estados Unidos devido ao vazamento de petróleo no Golfo do México, considerado o pior desastre ambiental da história americana.

O vazamento foi provocado pela explosão da plataforma de petróleo Deepwater Horizon, operada pela BP, no fim de abril.

Quase três meses depois, apesar das diversas tentativas de conter o fluxo de petróleo, o vazamento permanece sem solução.

"Evidências no desastre da Deepwater Horizon parecem sugerir que a BP poderia colocar o lucro acima das pessoas. Sua atenção à segurança foi negligente e ela rotineiramente subestimou a quantidade de petróleo vazando no Golfo", dizem os senadores na carta enviada à secretária.

Segundo os senadores, a investigação seria importante para determinar a legitimidade da decisão de libertar Al-Megrahi e para "compreender a fonte de renda dessa corporação, que deve bilhões de dólares aos contribuintes americanos e às famílias que vivem na costa (do Golfo do México)".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.