Sendero Luminoso seqüestra 60 pessoas no Peru

Aproximadamente 60 pessoas, incluindo três policiais e sete estrangeiros, foram seqüestradas nesta segunda-feira num acampamento da empresa argentina Techint por aproximadamente 200 guerrilheiros que a polícia disse pertencerem ao grupo maoísta Sendero Luminoso. A polícia e o Exército afirmaram que o seqüestro ocorreu no acampamento Toccate, na província de La Mar, a 350 km da capital, Lima.A prefeita de Ayacucho, Edelmira Zúñiga, disse em entrevista no rádio que os seqüestradores "poderiam ser trabalhadores (da Techint) descontentes com o não-cumprimento de algum benefício, ou comunidades camponesas exasperadas por algum motivo". A companhia Techint está encarregada das obras de extensão do dutos do Projeto Camisea, para o transporte de gás natural desde a selva até a costa peruana, atravessando a cordilheira dos Andes - onde se encontra o acampamento Toccate.A embaixada argentina em Lima confirmou o seqüestro sem dar pormenores. Uma empregada da Techint, que se pronunciou sob condição de anonimato, disse que no acampamento trabalham técnicos argentinos, colombianos e chilenos, mas que desconhecia a identidade dos seqüestrados.Segundo a polícia, os três agentes seqüestrados haviam vigiado no domingo o transporte de explosivos desde o acampamento de Pacobamba até o de Toccate, onde se encontravam até serem tomados pelos rebeldes. Os artefatos são utilizados pelos trabalhadores da Techint para explodir rochas a fim de facilitar a passagem do gasoduto.A polícia disse que os rebeldes armados invadiram o acampamento, seqüestraram as 60 pessoas - entre elas sete estrangeiros cuja nacionalidade ainda não foi revelada -, apoderaram-se dos explosivos e fugiram levando os reféns para local desconhecido. Os policiais presumem que os seqüestradores tenham vindo de Vizcatán, um refúgio senderista na cordilheira andina de difícil acesso.Após tomar conhecimento do episódio, o governo enviou à região um contingente de 60 soldados em helicópteros, enquanto meia centena de policiais iniciava o mesmo trajeto por terra a partir de San Miguel, capital de La Mar. A operação de busca e resgate dos reféns está sendo dirigida pelo general Federico Ayarza Richter, comandante da Segunda Divisão de Infantaria.Com a ação, os senderistas desafiaram o estado de emergência, implantado em fins de maio pelo governo, em uma tentativa de encerrar uma onda de greves.Em outubro do ano passado, rebeldes do Sendero Luminoso invadiram outro acampamento da Techint, na localidade de Tambillo, a leste de Ayacucho, desmontaram escavadeiras e outros equipamentos utilizados pela empresa argentina para a abertura de estradas e a colocação de dutos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.