Separatistas pró-Rússia rejeitam acordo realizado em Genebra

Insurgentes continuam ocupando prédios públicos; presidente ucraniano fala em 'estatuto especial' para língua russa

O Estado de S. Paulo,

18 de abril de 2014 | 14h09

DONETSK - Os separatistas pró-Rússia do leste da Ucrânia se mantêm inflexíveis e rejeitam o acordo fechado em Genebra entre Rússia, EUA, União Europeia e Ucrânia para desarmar e desocupar os prédios públicos. Em troca, o presidente interino ucraniano, Olexandre Turchnov, e o primeiro-ministro Arseni Yatseniuk prometeram a criação de um "estatuto especial" para a língua russa.

Os insurgentes pró-Rússia continuam ocupando o prédio da prefeitura de Donetsk. O auto-intitulado líder da República Popular de Donetsk, Denis Pushilin, afirmou que seus homens não irão cumprir o acordo e só deixarão o edifico quando o governo em Kiev fizer o mesmo.

"Concordamos que os edifícios devem ser esvaziados, mas antes Yatseniuk e Turchnov devem sair dos prédios que ocupam ilegalmente desde o golpe de Estado", afirmou Pushilin, se referindo à derrubada do presidente Viktor Yanukovich (pró-Rússia).

Pushilin acrescentou que estão mantidos os preparativos para um referendo sobre o aumento da autonomia da República Popular de Donetsk em maio e os separatistas não se sentem representados pelo acordo. "O ministro russo de Relações Exteriores, Sergei Lavrov, não assinou o acordo em nosso nome, mas sim em nome da Rússia."/ AP e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
crise na UcrâniaRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.