Separatistas vencem na Catalunha

Partidos nacionalistas que defendem referendo sobre independência levam dois terços dos votos em eleição para Parlamento regional

BARCELONA, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2012 | 02h04

Os separatistas da Catalunha, divididos em quatro partidos principais, saíram vencedores ontem das eleições. Os catalães foram às urnas para escolher os 135 membros do novo Parlamento regional em uma votação que define o caminho a ser tomado pela região. A escolha de um líder pró-independência será um teste à unidade da Espanha.

Paradoxalmente, Artur Mas, candidato à reeleição como presidente regional pela coalizão nacionalista de centro-direita Convergência e União (CiU), foi um dos perdedores. Foi ele quem antecipou a eleição para obter maioria absoluta no Parlamento, mas acabou punido e terá 12 deputados a menos.

Com todas as urnas apuradas, a CiU elegeu 50 parlamentares - menos do que os 62 eleitos em 2010. A boa notícia para os separatistas, no entanto, foi o bom desempenho de outros partidos que defendem a independência da Catalunha - cerca de dois terços dos votos foram para grupos pró-independência.

Em segundo lugar ficou a Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), que obteve 21 deputados, mais do dobro da bancada eleita dois anos atrás. Outros dois partidos separatistas menores elegeram 16 parlamentares, o que confere aos separatista catalães praticamente a maioria absoluta. O Partido Popular (PP), do primeiro-ministro Mariano Rajoy, computa agora um deputado a mais do que em 2010- subiu de 18 para 19 representantes.

Durante a campanha, uma das promessas da CiU foi a realização de um referendo sobre a independência da Catalunha. O governo central, liderado por Rajoy, ironiza essa possibilidade e afirma que a Constituição determina que apenas Madri é capaz de convocar a consulta, que teria de ser aberta para todos os espanhóis. A posição do governo central, no entanto, tem sido enfraquecida pela crise econômica e pelas medidas de austeridade ditadas por Madri.

A Catalunha é hoje a região mais endividada do país. O governo regional acusa Madri de sugar seus recursos para amenizar a crise. A região e seus 7 milhões de habitantes são responsáveis por 20% do PIB da Espanha. No dia 11 de setembro, a onda de nacionalismo catalão levou 1,5 milhão de pessoas às ruas de Barcelona, a maior manifestação popular na região desde os anos 70.

As ótimas condições do clima favoreceram e as eleições de ontem, que transcorreram sem incidentes graves e registraram um comparecimento recorde. Segundo autoridades catalães, 56% dos eleitores votaram, 8 pontos porcentuais a mais do que na votação de novembro 2010.

Ontem, Xavier Trias, prefeito de Barcelona, entrou no clima e sugeriu que o Barcelona, clube em que atuam os craques Xavi, Iniesta e Messi, dispute o Campeonato Francês. "Na Catalunha, não temos a possibilidade de ter uma liga competitiva. O Barcelona teria de aderir a outro campeonato, como o francês", disse. / AP, AFP e REUTER

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.