Seqüestradores afegãos voltam a adiar execução de reféns

O grupo extremista que ameaça matar três funcionários da ONU que ajudaram a organizar a eleição presidencial no Afeganistão anunciou ter adiado a tomada de uma decisão sobre o destino dos reféns. Os terroristas agora dão às Nações Unidas e ao governo afegão até amanhã à noite para abrir conversações "formais" com o grupo Jaish-al Muslimeen, afirmou Ishaq Manzoor, que se diz porta-voz dessa dissidência do Taleban. O grupo manteve seu alerta de que qualquer tentativa de resgate terminará em um banho de sangue e insistiu nas exigências de que a ONU deixe de atuar no país e que os americanos libertem prisioneiros de Guantánamo. Homens armados capturaram a norte-irlandesa Annetta Flaningan, o diplomata filipino Angelito Nayan e a kosovar Shqipe Habibi na quinta-feira, retirando os três de um veículo com a insígnia da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.