Seqüestradores ainda trocam tiros com soldados russos

Cerca de 13 seqüestradores que tomavam a escola de Beslan, na Rússia, estão agora em um dos prédios que ficam em volta do complexo estudantil, de onde trocam tiros com as forças de elite russas. Alguns reféns, possivelmente crianças, ainda podem estar em poder deles. Segundo a agência Itar Tass, pelo menos cinco crianças morreram. O governo ainda não confirmou as informações. A invasão da escola, nesta manhã, ocorreu quando soldados entraram na escola para retirar os corpos de sete pessoas que haviam sido mortas na quarta-feira. Naquele momento, alguns reféns aproveitaram para tentar escapar. Os rebeldes abriram fogo contra eles e os militares revidaram dando início à ação, informou a CNN.Toda a área externa da escola foi minada pelos seqüestradores. Segundo a emissora de TV, são estas minas explodindo que são ouvidas na escola (8h50). De acordo com sobreviventes, pelo menos dois rebeldes se suicidaram detonando os explosivos que tinham presos ao corpo. Segundo o jornal Pravda, dezenas de pessoas morreram e há centenas de feridos. Se acordo com a agência Itar Tass, 310 pessoas ficaram feridas, sendo 180 crianças.Leia maisPelo menos 200 pessoas estão internadas em BeslanPelo menos 30 pessoas conseguem fugir da escola russa Situação continua crítica em escola russa, em Beslan

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.