Seqüestradores de avião sudanês se rendem na Líbia

Dois seqüestradores de um avião da companhia sudanesa Sun Air, que decolou ontem da região de Darfur, renderam-se hoje, horas depois de libertarem todos os passageiros que eram mantidos reféns. A informação foi divulgada por Murtada Hassan, diretor executivo da Sun Air. Acredita-se que outros seqüestradores tenham se misturado aos passageiros libertados mais cedo, uma vez que não se sabe ao certo quantas pessoas participaram da ação.O Boeing 737 foi seqüestrado ontem com 95 pessoas a bordo (87 passageiros e oito tripulantes) depois de decolar de Nyala, no sul de Darfur, com destino a Cartum, a capital sudanesa. O vôo foi então desviado para Kufra, um oásis no Saara líbio.A rendição encerra um seqüestro qualificado como "ato terrorista irresponsável" pelo Ministério das Relações Exteriores do Sudão. Um dos autores do seqüestro identificou-se às autoridades da Líbia como integrante de um movimento rebelde que luta contra o governo na região sudanesa de Darfur, mas os insurgentes negaram vínculo com o episódio.Hassan, por sua vez, comentou que os seqüestradores agiram por motivos pessoais e que o episódio não estaria relacionado à insurgência em Darfur. Cartum exige a extradição dos suspeitos.

AE/AP, Agencia Estado

27 de agosto de 2008 | 13h33

Tudo o que sabemos sobre:
aviãoseqüestroLíbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.