Seqüestradores de jornalista pedem libertação de iraquianas

Os seqüestradores da jornalista americana Jill Caroll mostraram imagens através do canal Al Jazira nas quais a refém aparece viva, e ameaçam matá-la caso não seja libertado um grupo de presas iraquianas.A jornalista da revista The Christian Science Monitor apareceu em um vídeo sem som no qual aparece com o cabelo coberto por um véu, visivelmente atemorizada e falando às câmeras, embora suas palavras não possam ser ouvidas.Na parte inferior da imagem, aparece gravada a data de 28 de janeiro e, na parte superior esquerda, o nome da organização que reivindicou a autoria do seqüestro, "Legiões da Vingança".Em 17 de janeiro, em outro vídeo transmitido pelo canal árabe, os seqüestradores solicitaram a libertação de 8 presas iraquianas, cinco das quais foram postas em liberdade posteriormente.Nos últimos dias, a Al Jazira mostrou os vídeos de quatro pacifistas ocidentais que trabalham para uma organização de beneficência cristã, e de dois engenheiros alemães, que continuam seqüestrados.A jovem jornalista foi seqüestrada próximo a uma mesquita sunita em Bagdá, no dia 7 de janeiro, quando aparentemente se preparava para entrevistar um líder sunita, que vive em um dos bairros mais perigosos de Bagdá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.